A metodologia do BAWB-GFAL

A Investigação Apreciativa (IA) é a metodologia aplicada nos encontros de conversação do BAWB-Global Forum America Latina. Esse método foi escolhido pois utiliza uma abordagem construtiva para a mudança e o desenvolvimento organizacional, se apresentando como uma forma de tornar a organização melhor com base no que ela já tem de bom. Ou seja, a partir do que queremos conservar é que conseguiremos chegar a ser o que queremos para o futuro.

A IA foi criada nos Estados Unidos pelos professores David Cooperrider e Ronald Fry, da Case Western Reserve. É utilizada nos encontros de conversação do Global Forum, orientando os grupos na organização de seus processos criativos e no planejamento de suas ações transformadoras da sociedade.

Muitas organizações se consideram um problema a ser resolvido. As pessoas fazem reuniões para elaborar uma lista dos problemas e a partir daí procuram as causas desses problemas para elaborar soluções. Na Investigação Apreciativa o foco não é o problema, mas a construção de um futuro desejado com base nas forças existentes. A organização deixa se ser percebida como um problema a ser resolvido e passa a ser a própria solução, como um mistério a ser desvendado.

A aplicação do processo acontece em 4 fases:

DESCOBERTA: fase em que a organização aprecia o que tem de melhor. Exemplos: liderança, relacionamentos, tecnologia, métodos de planejamento, etc. Nesta fase, as pessoas compartilham histórias de sucesso, percebendo a história organizacional como uma possibilidade positiva.

SONHO: envolve desafiar o status quo, criando visão dos resultados que o mundo está querendo. 

PLANEJAMENTO: a criação da arquitetura social e tecnológica da organização. Tanto a fase de sonho quanto a de planejamento envolvem a construção coletiva de imagens positivas de futuro. Um aspecto que diferencia a Investigação Apreciativa das outras metodologias de planejamento é que as imagens de futuro emergem de exemplos positivos ocorridos no passado. Essas imagens se tornam possíveis porque estão baseadas em momentos extraordinários da vida organizacional.

DESTINO: nela, as imagens positivas de futuro são sustentadas. É um tempo de aprendizado contínuo, ajustamento e improvisação - tudo a serviço dos ideais compartilhados. É o momento de construir o "olhar apreciativo" na organização em todos os seus sistemas, procedimentos e métodos de trabalho.

A IA, criada nos Estados Unidos pelo Dr. David Cooperrider, é baseada em cinco princípios.   

  • Princípio Construtivista

As organizações são percebidas como construções humanas. Construímos nossas realidades baseadas na nossa experiência prévia, e portanto, nosso conhecimento e o destino da organização estão interligados.

  •  Princípio da Simultaneidade

A pergunta e a mudança acontecem simultaneamente. Quando se faz uma pergunta a alguém, a pessoa que recebe a pergunta sofre uma alteração de comportamento. A pergunta apreciativa favorece a auto-estima de outra pessoa. As perguntas que fazemos são parte do processo de mudança.

  •  Princípio Poético

Assim como uma obra de arte pode ter inúmeras interpretações, as organizações humanas podem ser vistas como livros abertos em que as pessoas são co-autoras. Passados, presentes e futuros podem ter inúmeras interpretações e podemos encontrar o que desejamos nas organizações.

  •  Princípio da Antecipação

As organizações, assim como as pessoas, caminham para onde se questionam (sonhos-imagens). O mais importante recurso que se tem para construir a mudança organizacional é a imaginação coletiva e o discurso a respeito do futuro. Um dos teoremas básicos da visão antecipada da vida organizacional é que esta imagem de futuro é o que de fato guia o comportamento de cada organismo ou organização.

  • Princípio Positivo

A abordagem positiva tem o poder de agregar, de realimentar. Quanto mais positivas são as questões a serem feitas, mais efetivo é o esforço de mudança. A abordagem positiva tem o poder de agregar, de realimentar. Quanto mais positivas são as questões a serem feitas, mais efetivo é o esforço de mudança.